O Conceito

Novidades

Biografias e Obras

O Escritório


5 + 5
akira umeda - yurei
alzira fragoso - encarnado
ana kesselring - corps du monde (corpos do mundo)
ana michaelis - ilusão
ana nitzan - ...foi num dia, no jardim
ana nitzan - sublimação
ana paula lobo -"e se houvesse ainda e sempre e somente palavras"
antonio sobral - arrebentação
antonio sobral - força latente
antonio sobral - perestroika
carlos emilio - cintilações
catherine ferraz - catherine, la tête dans les nuages
cecilia dequech - solitude
cristiane mohallem - canção da estrada
cristiane mohallem - céus são céus
cristiane mohallem - entre mãos: pinturas
daniella liu herzog - transpaisagens
dconcept hospeda Aluga-se
dione veiga - solutilis
edu rodrigues - geografia
edu rodrigues - válvulas
estrela do pari futebol clube
felipe o. mello - majesty
felipe oliveira mello - herdeiros
flavia vivacqua - flavia vivacqua
gabriel nehemy - azul, cinza, rosa
juliana garcia - avulsos em série
katia fiera - e quem quiser que conte outra...
katia fiera - katia fiera
kika nicolela - exquisite corpse video project
lucas lenci - aifonepics
luiz sôlha - cineramas
marcos vilas boas - cenários
marcos vilas boas - horizontes retos
marcos vilas boas - meio-dia
marcos vilas boas - na altura dos olhos
marina ayra - bruma espuma ao amanhecer-
marlene stamm - da aurora ao crepúsculo
marlene stamm - silêncio
Mosaico
néle azevedo - o que pode um corpo?
nicole mouracade-nin - cadernos de zizi
no limite da linha - coletiva de desenho
patricia bigarelli - silêncio
renata cruz - classificação das espécies
rosângela dorazio - pelas paredes
rosilene fontes - uma historia da infância
teresa berlinck - biblioteca ilustrada, sábado e domingo
vera martins - por um fio...ETERNIZADO
vicente de mello - noite americana - interiores
victor lema riqué - el bosque II
yara dewachter-quase verdades
yolima reyes - sorbitos
daniella liu herzog - transpaisagens
de 20/10/2010 à 19/11/2010.
Transpaisagens

A exposição consiste em uma série de trabalhos sobre a paisagem. O processo criativo de Daniella tem como princípio a transferência. Transferência ou transfer é uma antiga técnica de impressão e reprodução de imagem. Inicialmente ligada a um processo de decalcar (do francês decalquer) designs para cerâmicas e porcelanas, o termo adquiriu significações várias em diferentes campos como, por exemplo, na psicanálise. No que concerne a arte, a palavra transfer ou decal (de decalcomania como também ficou conhecida) sempre envolve o deslocamento de uma imagem para uma nova base ou suporte. Em certos aspectos, iguala-se à monotipia - na produção de uma única imagem. No entanto, tanto na transferência quanto na monotipia, a imagem pode ser "puxada" quantas vezes sejam possíveis, desde que, na matriz, haja ainda tinta suficiente para ser feita uma nova migração. As cópias resultam em imagens fragilizadas, menos intensas, desmaiadas, chamadas de "fantasmas". É dentro desses primeiros parâmetros que a artista trabalha, mas Daniella vai associá-los a princípios contemporâneos como a apropriação e a intertextualidade.

Em Transpaisagens os trabalhos não se encaixam na lógica da imediaticidade. Tudo aqui requer tempo. Tempo para perceber as passagens, as transições, as construções das imagens. As obras são como palimpsestos. O papel de arroz com sua textura delicada e transparente permite guardar, na sua pele, impressões previstas e imprevistas, acasos inerentes ao procedimento. Conhecendo os percalços do ofício, a artista trabalha na incorporação desses "riscos" como parte do potencial poético de seu processo artístico. Transforma borrados em penumbras de passagens, animando, na paisagem, uma atmosfera de tempo expandido.

A idéia de lugar é problematizada: existe este lugar? É aqui? Ou é lá? A artista une o real e o imaginário, a imagem apropriada com a imagem desenhada criando um mundo surpreendente, de estranhas perspectivas. Por vezes esse procedimento de fusão aparece pela combinação de duas imagens sobrepostas, outras pela linha que costura uma nova silhueta de paisagem - são imagens de imagens, inventadas, recontadas, revestidas, recordadas, renarradas, traduzidas e presentes nas linhas e tons que reverberam, no papel, como ecos "fantasmas" da memória.

Nancy Betts
Out. 2010