O Conceito

Novidades

Biografias e Obras

O Escritório


5 + 5
akira umeda - yurei
alzira fragoso - encarnado
ana kesselring - corps du monde (corpos do mundo)
ana michaelis - ilusão
ana nitzan - ...foi num dia, no jardim
ana nitzan - sublimação
ana paula lobo -"e se houvesse ainda e sempre e somente palavras"
antonio sobral - arrebentação
antonio sobral - força latente
antonio sobral - perestroika
carlos emilio - cintilações
catherine ferraz - catherine, la tête dans les nuages
cecilia dequech - solitude
cristiane mohallem - canção da estrada
cristiane mohallem - céus são céus
cristiane mohallem - entre mãos: pinturas
daniella liu herzog - transpaisagens
dconcept hospeda Aluga-se
dione veiga - solutilis
edu rodrigues - geografia
edu rodrigues - válvulas
estrela do pari futebol clube
felipe o. mello - majesty
felipe oliveira mello - herdeiros
flavia vivacqua - flavia vivacqua
gabriel nehemy - azul, cinza, rosa
juliana garcia - avulsos em série
katia fiera - e quem quiser que conte outra...
katia fiera - katia fiera
kika nicolela - exquisite corpse video project
lucas lenci - aifonepics
luiz sôlha - cineramas
marcos vilas boas - cenários
marcos vilas boas - horizontes retos
marcos vilas boas - meio-dia
marcos vilas boas - na altura dos olhos
marina ayra - bruma espuma ao amanhecer-
marlene stamm - da aurora ao crepúsculo
marlene stamm - silêncio
Mosaico
néle azevedo - o que pode um corpo?
nicole mouracade-nin - cadernos de zizi
no limite da linha - coletiva de desenho
patricia bigarelli - silêncio
renata cruz - classificação das espécies
rosângela dorazio - pelas paredes
rosilene fontes - uma historia da infância
teresa berlinck - biblioteca ilustrada, sábado e domingo
vera martins - por um fio...ETERNIZADO
vicente de mello - noite americana - interiores
victor lema riqué - el bosque II
yara dewachter-quase verdades
yolima reyes - sorbitos
patricia bigarelli - silêncio
de 31/5/2008 à 30/6/2008.
A voz da cor

?Penso e nada descubro, deixo de pensar, mergulho no silêncio, e a verdade me é revelada? Patrícia Bigarelli

As cores podem ser consideradas apenas um fenômeno óptico, mas portam em si mesmas uma gama de possibilidades visuais que as levam a ser objetos de reflexão constante de artistas plásticos, que se valem delas para originar, via harmonia ou dissonância, reações na percepção humana que, de uma forma ou de outra, não deixam o espectador passivo.
A pintora Patrícia Bigarelli, na exposição ?Silêncio?, faz a cor falar. Ela explora distintas formas de gerar efeitos a partir do espectro cromático. Dá, assim, vida à cor, com suas abstrações em tinta a óleo. A técnica variada e rica em significado mostra que o processo criativo, oriundo de uma aprendizagem contínua na Itália e no Brasil, tem como ponto alto o mergulho da artista em si mesma.
Os trabalhos em pequeno formato apresentados são resultado de um processo de interiorização que supera a beleza do objeto plástico. Há em cada um deles uma narrativa construída por um percurso em que as cores quentes e vibrantes já tiveram um papel predominante e onde as áreas eram mais severamente limitadas. Progressivamente, no entanto, a atmosfera ficou mais tênue.
O conjunto de telas apresentado trabalha com a sutileza dos degradês e com a exploração da cor como forma de dar voz ao silêncio individual da pintora. No diálogo interior marcado pelo esvaziamento da mente, uma verdade plástica é revelada: a da força de cada tela como a potente expressão de um sentimento afirmativo de estar no mundo que tem na cor seus principais e delicados sussurros.

Oscar D?Ambrosio